Paris vs Nova York

Uma pitada de ironia e bom humor para retratar duas grandes cidades.

Nunca ninguém antes pensou em comparar duas metrópoles tão marcantes e únicas como Nova York e Paris, cada uma marcada por ícones fortes e caracterizados com muita personalidade, fazendo-as únicas e deleite de todo turista. O designer e diretor de arte Vahram Muratyan encontrou uma forma criativa e divertida de mostrar os aspectos cotidianos ao brincar com as duas cidades fazendo uma viagem pelas peculiaridades e marcando o comportamento dos parisienses e nova-iorquinos.

“Paris versus New York – A Tally of Two Cities”, que virou blog (www.parisvsnyc.blogspot.com) e livro estão recheadas de boas ilustrações que por si só são uma viagem pelas cidades e suas características que as tornam tão diferentes e antagônicas e ao mesmo tempo, ambas essenciais para o viajante.

As artes não costumam ser autoexplicativas, o que acaba exigindo algum conhecimento sobre aspectos das cidades. Para quem não as conhece, cada ilustração vira uma “city-tour” sobre a cultura e pelo dia-a-dia de cada cidade.

Bon voyage / Have a nice trip

Ale Ravagnani

Anúncios

A viagem é sua também

A ideia desse Blog de viagens surgiu a partir do projeto que tenho de um livro de imagens de viagens. Não é um álbum de fotos, mas um registro inusitado de lugares, pessoas, achados e claro, durante diversas viagens que venho fazendo desde minha adolescência. Como o livro não sai, já que a cada plano de uma nova viagem eu penso que terei mais conteúdo e acabo adiando a publicação, vi que a saída seria escrever continuamente, quase que como um diário e sem a preocupação de ter que fazer uma compilação com começo, meio e fim. Além disso, depois de uma tarde inspiradora numa mesa de café com a Carol, minha eterna companheira nas viagens e de nossos queridos amigos Ligia, Bill e a pequena Júlia, tomei vergonha na cara com os incentivos da maior blogueira que conheço. A Ligia ( http://ligiakempfer.wordpress.com ) não precisa de razão para escrever, isso é simplesmente inerente à sua existência. E como ela escreve bem… Já no meu caso, comecei a escrever sobre viagens há alguns anos. Algum amigo ia viajar e me pedia dicas. Você já foi pra tal lugar? Me manda umas dicas que estamos indo pra lá, e aí escrevia roteiros infinitos, como se estivesse revivendo aquela viagem e, com o maior prazer do mundo, curtia o destino com o amigo, mesmo sem ir. Tem sido assim nos últimos anos, e depois de quase 50 países visitados, quero dividir com vocês essa fome de descobrir e me aproximar ainda mais do sonho de conhecer o mundo. Ale Ravagnani